Chefe do tráfico em Pombal tinha vida de luxo em Maceió

Fotos: Divulgação/Polícia Civil
Fugitivo do Complexo Prisional da Mata Escura, em Salvador, onde cumpria pena sob acusação de chefiar o tráfico de drogas em Ribeira do Pombal, com extensão para os municípios de Paulo Afonso, Euclides da Cunha, Tucano, Cipó, Nova Soure, Cícero Dantas, Feira de Santana, além de participação em assalto a banco, carro forte e execução de inimigos que concorriam com ele no comércio de drogas, João Cleison Mota Carvalho, vulgo “Didi”, que no Baralho do Crime da Secretaria da Segurança Pública da Bahia ocupava o valete de paus, foi preso em Maceió/AL. O Baralho do Crime é um catálogo da SSP/BA que reúne fotos dos bandidos mais procurados do estado.
 
Desde que fugiu da Unidade Especial Disciplinar que integra o Complexo Penitenciário da Mata Escura, em Salvador, em 2017, onde se encontrava desde 2013, quando foi preso, aproveitando-se de uma fuga em massa de detentos por uma área de mata que circunda a UED e cercada apenas, por um alambrado, que foi cortado pelos fugitivos, a polícia baiana desenvolvia investigações para localizá-lo e prendê-lo novamente, sendo descoberto em Maceió, onde residia há menos de um ano, juntamente com a família em um condomínio de luxo e administrava seus negócios do tráfico nas áreas mantidas por ele, além de se passar por empresário que comercializava carros de luxo e imóveis, para lavar dinheiro oriundo do tráfico de drogas.
Para recapturá-lo, foi montada uma operação conjunta envolvendo as polícias da Bahia e Alagoas, que foi realizada com êxito, no último sábado (03), mas somente nesta segunda-feira (05) foi apresentado pela SSP/BA, à imprensa, depois de ser escoltado, inclusive com o apoio de um helicóptero do Graer - Grupamento Aéreo da PM/BA, dado o grau de periculosidade do bandido, que tinha oito mandados de prisão em seu desfavor. Na hora da prisão, Didi portava uma pistola, mas não reagiu.
 

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2356