Euclides registra 1º homicídio de 2018

FOTOS: José Dilson Pinheiro - euclidesdacunha.com
Depois de passar mais de cinco meses sem registrar homicídio, em todo o Município, Euclides da Cunha amanheceu esta sexta-feira (05), com a notícia de um assassinato ocorrido provavelmente na madrugada de hoje, fato acontecido no Jardim Brasil, em área do bairro Duda Macário, teve como vítima a pessoa de Marcos da Silva Alves (44), natural de Salvador. 
 
Informações obtidas pela equipe de reportagem do Site euclidesdacunha.com junto a uma senhora de prenome Cristina, que por cerca de 20 anos conviveu como companheira da vítima, Marcos pintor, como era conhecido, era um profissional de funilaria e pintura de automóveis, não era usuário de drogas; porém, viciado em bebida alcoólica, tornando-se alcoólatra, motivo da separação do casal. 
Para Solângio, proprietário de uma oficina mecânica, funilaria e ferro velho, para quem Marcos, quando sóbrio, fazia serviço e residia em uma casa de propriedade do comerciante, que também serve como depósito de peças usadas e velhas, morava sozinho e tinha a companhia apenas, de um pequeno cão que criava. Aliás, este repórter registrou a presença do animalzinho sempre próximo ao corpo, que se encontrava caído junto ao portão de entrada do imóvel, num ato de fidelidade e sentimento típico de animais que perdem o dono por meio da morte. Nem mesmo quando os peritos criminalísticos fecharam o portão para procederam o levantamento cadavérico e obtenção de provas materiais no cenário do crime, o animal abandonou o local.
As provas materiais (garrafa de bebida, copo, binga de cigarro, etc.) podem contribuir com as investigações para identificar o possível assassino ou assassinos, já que segundo informações, a vítima bebia na companhia de três elementos, que numa rápida ação da polícia foram detidos e conduzidos para o Complexo Policial Civil, por supostamente estarem envolvidos no crime.

 
Coberto com um pedaço de lona que o protegia contra o Sol e exposição à curiosidade de pessoas, o corpo, envolto a uma poça de sangue que se espalhou ao redor, apresentava sinais de que sofrera profundo corte com objeto perfurocortante (faca ou facão) junto ao queixo, além de violento golpe com pedaço de madeira, que certamente fora utilizado, pois bem próximo ao corpo se encontrava uma peça de madeira maciça usada na fabricação de cadeira, com marcas de sangue. Um dos elementos ou o autor do crime deixou marcas de sangue no chão, sinais evidentes de que calçava uma sandália do tipo japonesa e pisou na poça de sangue, que pode ajudar bastante na identificação da autoria do crime.
Os elementos foram ouvidos pela autoridade policial civil, e, à tarde, por volta das 15h, este repórter foi informado que os conduzidos haviam sido liberados depois de ouvidos; porém, a polícia já tem informações sobre o autor do crime. 

 
Agentes do Serviço de Investigação estão em campo em busca de novos fatos. Após o término do trabalho pericial, a ex-companheira da vítima seguiu para a 1ª DT, para registrar a ocorrência, enquanto aguarda uma possível presença de familiares da vítima que residem em Salvador. 
 
O corpo foi recolhido para o IML de Euclides da Cunha, onde passará por necropsia e posterior liberação aos familiares para sepultamento.
 

Publicado em: http://www.euclidesdacunha.comnews/print/id/2285